Seguidores

03/06/10

Música na Sala de Aula

"A proposta de trabalho com textos variados inclui a exploração de textos não-verbais e os que misturam mais de uma linguagem, como a propaganda, a composição musical, o filme. Neste mundo pós-moderno, em que tudo vai perdendo seus contornos nítidos e tudo se mescla, sons e imagens além da língua marcam as interações mais comuns do nosso cotidiano. Devem fazer parte das nossas escolhas, para uso com nossos alunos. Eventualmente, eles podem até expressar-se em uma dessas linguagens. De todo modo, como interlocutores, fruidores, o contato com textos com outros códigos deve ser constante".
                       Caderno de Teoria e Prática 1 (TP1) do GESTAR II - pág.113
                       Unidade 03
                       Linguagem e cultura
                       Maria Antonieta Antunes Cunha


Sempre gostei de trabalhar com música em sala de aula. Na última semana empreguei mais uma vez esse recurso, com a turma do 7º ano.  Foi bastante interessante. Denominamos o trabalho de "Os verbos na construção do texto musical", parafraseando os autores - William Roberto Cereja e Thereza Cochar Magalhães - do nosso livro didático "Português: linguagens".

 Trabalhamos com gêneros musicais variados, no total 5 músicas: mais populares, de grande aceitação da turma, como o sertanejo, foram 3 canções. Também estudamos 1 rock e 1 hip hop/rap.
Foi possível desenvolver atividades de interpretação, análise dos recursos estilísticos, como a  rima e a repetição e  da variedade linguística empregada. Foi bastante produtivo, pois os alunos, após a 2ª música estudada, já se tornaram capazes de elaborar sozinhos mais questões,  acerca das outras 3, abordando aspectos da linguagem musical. Embora tenham se baseado nas questões que elaborei para as 2 primeiras músicas, julguei válido o trabalho.
Depois de algumas leituras, a turma começou a identificar com maior facilidade algumas formas nominais presentes no texto musical, principalmente o infinitivo. Sistematizaram melhor o modo imperativo e os verbos no pretérito perfeito do indicativo.
A maior dificuldade é, contudo,  levá-los a entender o porquê do emprego desses tempos e modos, ou seja, por que o autor os escolheu,   mas continuarei a batalhar nessa parte,  pois o trabalho ainda não terminou.  
O diferencial  foi que os levei desta vez para assistirem a vídeos musicais dos títulos trabalhados - diferentemente do fazia antes, quando colocava a música no toca cd. Vários  detalhes chamaram a atenção dos alunos: a arte gráfica, as animações e também as diferentes interpretações  captadas através das imagens contidas nos vídeos. Valeu a pena.
Além de ter-me pautado nos estudos dos cadernos do GESTAR II, tive como referência um texto, que posto abaixo com os devidos créditos à autora, com a qual concordo quanto às formas de se trabalhar a música em sala de aula.
Cida dos Santos.

Música na Sala de Aula

Uma Chance de Trabalho
Trabalhar com a música no cotidiano escolar significa ampliar a variedade de linguagens que podem permitir a descoberta de novos caminhos de aprendizagem. É possível que se desperte no aluno outras formas de conhecer, interpretar e sentir.
*Trabalhar uma canção em sala exige que ela seja executada mais de uma vez. Na primeira audição, os alunos identificam a melodia e alguns de seus aspectos. Isso possibilita uma primeira discussão sobre o significado da letra, o prazer de ouvir ou não, sobre quais instrumentos foram tocados e a interpretação vocal, quando houver.
*Fazer com que jovens alunos se interessem pela leitura é um desafio muito grande para pais e professores. Há diversas tentativas para diminuir a distância entre a leitura e o aluno, muita delas inegavelmente eficazes.
*Uma possibilidade de integrar alunos e leitura escrita é a apresentação de uma nova perspectiva sobre aquilo que não é novo para eles, ou seja, uma nova visão sobre materiais que eles tenham alguma particularidade. A música é uma boa opção para tal objetivo.
*Levar letras de músicas de diversos gêneros para a sala de aula é algo que atenua significativamente a aversão ao mundo da leitura escrita por parte de nosso alunado, uma vez que a resistência a assistir a uma aula de língua portuguesa, por exemplo, fica um pouco esquecida ante a um material que eles tenham alguma familiaridade.
*Digo familiaridade porque desde o nosso nascimento somos expostos ao mundo da música. Algumas mães cantam para seus filhos ainda em processo de gestação e, ao nascer, a criança convive com inúmeros gêneros musicais e, por isso, o professor ao apresentar uma letra de música na sala, tem grandes chances de atrair a atenção de seus alunos. Uma vez com a atenção de seus alunos voltadas para ele, conseguirá induzir o despertar de diversas competências que nossos jovens já têm ou ainda terão. Dentre estas competências, a interpretação da vida cotidiana, dos hábitos das pessoas, do vocabulário usado em diferentes épocas, entre tantas outras possibilidades.
*Não é preciso ser apenas músicas consideradas modernas, inúmeros títulos musicais de outras gerações podem ser transformados em materiais de trabalho para o professor. A apreciação de um estilo mais que outro pode se transformar também num delicioso bate-papo estreitando o relacionamento aluno/professor.
     Erika de Souza Bueno Consultora Pedagógica em Língua Portuguesa do Planeta Educação.

Algumas fotos de um dos momentos do trabalho 
 Assistindo aos vídeos



Um comentário:

  1. A Música possui uma linguagem universal!!! Ela transcende os muros da escola, dos continentes,dos sentimentos. Amolece corações, alegra almas! Não há melhor caminho para se conseguir sucesso no ensino apredinzagem!Parabéns pelo belíssimo trabalho!

    ResponderExcluir